Skip to main content

Processo Ofensivo Dundalk – Relatório de Equipa

Depois de 2011/2012 quando o Shamrock FC alcançou a fase de grupos da Liga Europa, sem grande sucesso, mais nenhuma equipa irlandesa conseguiu entrar na fase de grupos. Esta época, o Dundalk FC, pela primeira vez na sua história, escreve uma bela página nesta aventura europeia e acima de tudo, deixa uma imagem diferente e positiva do futebol irlandês, comparando com a imagem deixada pelo Shamrock FC em 2011/2012.

Até agora, as coisas têm estado a correr bem ao contido treinador Stephen Kenny. Inserido no Grupo D com Zenit FC, AZ Alkmaar e Maccabi Tel Aviv, a equipa conquistou 4 pontos resultado de um empate com o AZ Alkmaar e uma vitória (a primeira de sempre de uma equipa irlandesa na Liga Europa) contra os israelitas do Maccabi Tel Aviv ocupando assim o 2º lugar atrás do Zenit FC.

Com base nesta vitória da 2ª jornada, analisamos o processo ofensivo do Dundalk FC.

Sistema de Jogo 1-4-4-2

sistema

Organização Ofensiva

1ª Fase de Construção

A equipa inicia a sua organização ofensiva de forma curta, apoiada e em posse. Os defesas centrais e os laterais a dar largura. Nesta fase inicial, Chris Shields (5), o médio mais defensivo, procura o apoio frontal no corredor central e entre-linhas.

1

Adicionalmente, Chris Shields (5), Robbie Benson (18) e Ronan Finn (10) também procuram recuar no terreno e dar linhas de passe interior e/ou atrair o adversário para uma pressão mais alta para explorar um futebol mais directo (aproveitando o espaço nas costas) na tentativa de se aproximar do último terço. Também utiliza o futebol directo para o avançado David McMillan (9).

6

 

Fase de Criação

Nesta fase, observamos o jogo interior dos extremos e a consequente concentração de jogadores no corredor central. As diagonais interiores dos extremos procuram atrair o adversário e assim abrir espaço para atacar a profundidade no corredor lateral.

5

Este posicionamento interior dos extremos leva também a que um dos avançados, preferencialmente McEleney (11) mas também Ronan Finn (10) ataque o espaço nos corredores laterais tanto para o passe longo como para o passe vindo do meio.

4

 

Criação de Golo

Posicionam 3 ou 4 jogadores na zona de finalização. Aqui optam por atacar as zonas vindos do lado oposto da bola, com diagonais interiores e aproximando ao 2º poste. Um dos médios centro ocupa posição à entrada da área.

3

O único golo do jogo nasce de um cruzamento de Daryl Hornag (7) no corredor esquerdo. Ciarán Kilduff (16), que tinha entrado aos 65 minutos para o lugar de McMillan (9) aproveita o espaço livre deixado pela defesa do Maccabi dentro da pequena área e com o pé direito remata para o 1-0.

2

 

Estatística Ofensiva

A equipa do Dundalk FC fez no total 11 cruzamentos (4 conseguidos, 2 falhados e 5 interceptados) com uma ligeira preferência pelo lado esquerdo com predominância de cruzamentos ao 2º poste. O extremo esquerdo Dane Massey (14) e o avançado Patrick McEleney (11) foram os jogadores com mais cruzamentos.

No que diz respeito a remates, a equipa efectuou 11. 3 Foram salvos pelo GR, 5 remates falhados, 2 foram interceptados e 1 acabou em golo. Os jogadores com mais remates pelo Dundalk FC foram: o médio centro Ronan Finn (10) com 4 remates e o avançado Patrick McEleney (11) com 3 remates. Se olharmos para a timeline verificamos que no período entre os 60-75 minutos ocorreram mais remates (3), inclusivé o remate que deu origem ao golo da vitória.

cruzamentos

remates

 

 

admin

admin

Founder, Project Manager Videobserver . I believe in the democratization of sports analysis software, for all intervenients, such as coaches, analysts, scouts, federations, clubs and players.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.