Skip to main content

Processo Defensivo do Leipzig – Leipzig vs Dortmund

Parar o ataque do Borussia Dortmund, um dos melhores do mundo, não é tarefa fácil. Com tantas soluções, a equipa de Thomas Tuchel obriga o adversário a preencher de forma eficiente os espaços e a manter a concentração durante todo o jogo. Isso foi exactamente o que o RB Leipzig fez. A nova equipa da Bundesliga foi perfeita na defesa e ainda teve a capacidade de surpreender e ganhar os 3 pontos. Mostramos aqui o seu processo defensivo.

O RB Leipzig estruturou-se num 1-4-2-2-2 a defender, com os jogadores a ocupar diferentes posiçoes em profundidade no campo. Os extremos tiveram uma missão de enorme sacrifício: quando o Borussia Dortmund começava a construir, ocupavam os espaços entre os defesas e os avançados. Mas quando a bola entrava dentro do bloco do Leipzig, recuava para dar mais coesão ao meio campo – ocupando o espaço em 1-4-4-2.

Assim, a equipa de Hasenhüttl conseguia impedir o Dortmund de jogar pelo corredor central e ao mesmo tempo controlar em largura. A disciplica táctica dos extremos foi importantítissima para o processo defensivo do Leipzig.
2-2-2-e-posicionamento-dos-alas

hamburgo-leipzig

Outro Exemplo: Forberg recupera a bola e o Leipzig acaba por marcar golo

Die Roten Bullen, como são conhecidos, conseguiram a vantagem numérica na zona da bola a maior parte do tempo, devido à acção bem coordenada de toda a equipa. Os tempos de saída à bola para pressionar foi muito bem definido e isto retirou tempo e espaço ao adversário.

werner-e-saida-a-pressao

Quando Rode receber a bola, o jogador do Leipzig já está perto

A estratégia montada por Ralph Hasenhüttl teve particular atenção ao papel de Julien Weigl. Sabendo a importância que o médio tem para a fase de construção, acelerando e pensando todo o jogo. O RB Leipzig tentou reduzir a sua influência.

Os dois avançados – Timo Werner e Yussuf Poulsen, ocuparam espaços muito perto do jogador alemão de 21 anos, dificultando a recepção do médio e que este conseguisse enquadrar e progredir. Ilsanker, um dos médios, também teve como missão impedir Weigl de “respirar”.

Para poder ter a bola em sua posse, o “cérebro” da equipa do Dortmund teve muitas vezes de recuar no terreno e jogar fora da estrutura do Leipzig.

poulsen

ilsanker

Se Weigle recebe, Ilsanker está próximo para pressionar

Em resumo, o RB Leipzig estudou muito bem a lição e conseguiu com sucesso controlar o Borussia Dortmund. A equipa nunca se expôs muito, tentando deixar muitos jogadores atrás da linha da bola e controlar as transições perigosas do adversário.

Para defender os cantos, o Leipzig optou por uma marcação mista. A equipa de Ralph Hasenhüttl tentou obrigar o Dortmund a cruzar, pondo jogadores perto do canto. Também cobriu as zonas de risco fora da grande área. Sokratis, Bartra e Piszczek mereceram marcação individual.

leipzig-bola-parada

admin

admin

Founder, Project Manager Videobserver . I believe in the democratization of sports analysis software, for all intervenients, such as coaches, analysts, scouts, federations, clubs and players.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.