Skip to main content
Psicologia do Desporto

Falam os treinadores: O que é que mais valorizam num jogador?

O que é que mais valorizam num jogador?

Neste artigo, tentamos perceber o que dizem os treinadores sobre os jogadores. Neste sentido, é também interessante que os jogadores saibam o que procuramos neles, de uma forma genérica.

Solicitei a colaboração dos treinadores dos 5 primeiros classificados da Liga Asobal na última época, para que me respondessem, do seu ponto de vista e tendo em conta a sua experiência, à seguinte pergunta: “O que é que mais valorizam num jogador”?

Acredito que as opiniões destes treinadores de primeira linha são muito interessantes. Deixo desde já aqui o meu agradecimento a estes grandes treinadores, que responderam com muito interesse à minha proposta.

 

Xabier Pascual (treinador do F. C. Barcelona)

Para mim, o importante é distinguir em que categoria devo colocar o jogador, ou seja, se falamos de um jogador para competir ou um jogador para fazer parte de um grupo, independentemente da qualidade que qualquer um deles tenha. Na minha opinião, devo valorizar um jogador de acordo com as necessidades que tenho; tendo isto em conta, eu inverteria a pergunta para poder escolher o jogador: “Que jogador necessito?”.

Creio que num grupo tem de haver um conjunto de condicionantes diferentes e um jogador deve reunir esse tipo de características que peço. Isto seria se viesse para entrar no grupo. Para competir, apesar de estar relacionado com o outro, existe um objectivo mais específico, por exemplo, um especialista numa tarefa específica: rematador, defesa central, etc. Penso que é muito difícil resumir em apenas 3 características o que mais valorizo num jogador.

Por outro lado, a resposta está nos jogadores que já tenho, pelo que é fundamental valorizar o que de mais importante eles têm. Para mim, o mais importante é que saibam e aceitem o seu papel dentro da equipa, tanto dentro de campo como fora dele. Isto é o que eu realmente valorizo num jogador.

 

 Talant Dujshebaev (treinador do Vive Kielce)

Para mim, as componentes essenciais que um jogador deve ter são talento e carácter. Tudo o resto, pode-se trabalhar.

 

Manolo Cadenas (ex-seleccionador da Selecção Nacional Espanhola)

Em primeiro lugar, valorizo o facto de ter ou não as qualidade físicas e técnicas para jogar ao nível que a equipa exige. Por outro lado, também é importante que tenha capacidade para treinar forte, de uma forma contínua, e também vontade de desenvolver ao máximo o seu jogo, assim como jogar com intensidade e competitividade.

 

Juan Carlos Pastor (treinador do Pick Szeged)

Eu falaria no jogador ideal, que deveria reunir as seguintes características:

  • Ser um jogador saudável, isto é, que não seja propenso a lesões e possa treinar com um alto grau de intensidade;
  • Ser bom física, técnica e tacticamente, falando especificamente do andebol;
  • Ser forte psicologicamente, sobretudo nos momentos difíceis;
  • Ser um líder no grupo e no jogo;
  • Ser boa pessoa, para que se possa trabalhar com ele como um bom profissional;
  • Os jogadores menos aptos ou em formação, devem estar dispostos a aprender, trabalhar e colaborar em tudo o que for preciso.

 

Mariano Ortega (treinador do SL Benfica)

O que mais valorizo num jogador é a sua humildade, estabilidade, consistência, generosidade, competitividade e inteligência. São estes os valores que transmitimos aos jogadores, logo no primeiro dia.

 

O meu contributo pessoal

Depois de pedir a colaboração a treinadores tão importantes do Andebol, sinto-me na obrigação de dar o meu pequeno contributo neste artigo.

Eu dou como pressuposto que nós treinadores, quando apostamos num jogador, fazemos essa escolha com base em determinadas características físicas, técnicas e tácticas no Andebol, porque senão formávamos uma “equipa de amigos”. Relativamente ao jogo, eu aprecio ter jogadores que completem uma verdadeira equipa, e não apenas nomes (mesmo que sejam alguns dos mais importantes); é fundamental que, entre todos, possamos formar uma equipa compacta que tenha a capacidade de defender, atacar, transitar em contra-ataque, etc.

Partindo da base em que contratámos jogadores com uma determinada prestação desportiva, parece-me importante que o jogador tenha outras características:

  • O seu foco deve estar em trabalhar para a equipa, isto é, deve estar preparado para, a qualquer momento, ajudar a equipa onde for preciso e não deve perder energia com outras coisas menos importantes, como pensar se joga muito ou pouco, quantos minutos, em que posição joga, etc;
  • Ser forte mentalmente, quando as coisas não lhe saem bem (evitar a frustração);
  • Deve trabalhar no máximo todos os dias, pensando no colectivo acima do individual, ao mesmo tempo que pense na sua responsabilidade para com a equipa e com o clube;
  • Ter a capacidade de aprendizagem, e colocar todos os meios e interesse em melhorar o que lhe é pedido;
  • Ter como lema diário “a única coisa que não se negoceia é o esforço”;
  • Ter, em alguns casos, dado o seu papel e importância dentro da equipa, um envolvimento para além do jogo;

Em qualquer dos casos, se tivesse de resumir numa só palavra o que mais valorizo num jogador, seria a palavra Compromisso, que não significa o mesmo que ser aplicado. O que mais valorizo num jogador é quando este “dá a vida” pelo clube que joga, e que sinta, ao mesmo tempo, o desenvolvimento da equipa.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Jesus Javier Gonzalez

Jesus Javier Gonzalez

Jesús Javier González has a degree in Mathematics and Master Coach EHF - Handball. “Jota” Began his professional career by the hands of Juan Carlos Pastor as his assistant coach and responsible for Balonmano Valladolid´s Academy. Since 2007 he is the head Coach of Naturhouse-La Rioja - Liga ASOBAL. In 2009-10 and 2012-13 seasons was elected Coach of the year. Jesus Javier González, licenciado em Matemática e Master Coach EHF - Handball. “Jota” começou a sua carreira profissional pela mão de Juan Carlos pastor como treinador adjunto e responsável pela Academia Balonmano Valladolid. Desde 2007 é o treinador principal da Naturhouse-La Rioja - Liga ASOBAL. Em 2009-10 e 2012-13 foi eleito treinador do ano.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *